segunda-feira, 30 de novembro de 2015

ESTRELA DOS LÁBIOS DE MEL




No firmamento infinito
Tu és como uma estrela
E o teu brilho e cor
Se destacam de entre as demais
És minha, estrela de lábios de mel
Dona do universo
Dos meus infinitos sonhos.

Ó voz da minha canção ao entardecer
Minha estrela cintilante
Vou gritando ao vento
Que arrasta a minha voz
No crepúsculo da tarde.
.
Nas teias da minha música
Que teci de poesia
Te prendi, meu amor…
E nos meus olhos
Vestidos de esperança
Começa o mundo do sonho

Do meu firmamento infinito.

Mário Margaride


quarta-feira, 25 de novembro de 2015

GOSTO DE TI ASSIM



Gosto de ti assim
Desse teu lindo sorriso
Desse teu jeito travesso
Que te distingue das demais
Desse teu ar de menina
No teu corpo de mulher.

Gosto quando me olhas
Com esse teu olhar maroto
Que me fascina…
Das tuas mãos de veludo
Que me fazem estremecer
Quando me tocam...

Gosto de ti assim
Meiga, terna, doce…
Com que me enches a alma

E aqueces o coração.

Mário Margaride


quarta-feira, 18 de novembro de 2015

QUANDO TE ENCONTREI

Quando te encontrei
Desenhaste os teus sinais

Ouvi dizer-te: Aqui estou!

Distingui-te entre as demais 

Como não sou peregrino

Desconhecia o caminho
Não conhecia o trajecto
Mas pressentia estar perto.

Então, surgiste do nada
Por entre as brumas, de uma fraga
E te encontrei no deserto.
Tinhas nas mãos…uma flor
Teu rosto, raio de luz
Como um espelho, que traduz
O reflexo do amor.

Quando nos encontramos
Não sei se houveram sinais
Somos profetas iguais
Por isso nos encontramos.

Mário Margaride 



sexta-feira, 13 de novembro de 2015

NO VENTRE DO TEU MAR SEM FIM




Gostava de te ter aqui
Sentada no colo do vento
Onde o barulho não se ouve
E a dor não se sente
Gostava de estar ai
No ventre do teu mar sem fim
Mergulhar nas tuas ondas
E deixar-me flutuar
Ao sabor da maré
Que me levará ao infinito do tempo
Do tempo que o tempo
Nunca poderá alcançar
Viajar através do sol
Que nasce no horizonte dos sonhos
No mar das ilusões
Onde as Sereias cantam
Canções de embalar
Onde adormeço
Num sono sem fim
                                            Onde um Cavalo alado
Me levará
Até ao jardim verdejante
Onde Unicórnios azuis
Galopam livremente
Em cavalgadas compassadas

Pelas planícies da esperança.

Mário Margaride


segunda-feira, 9 de novembro de 2015

JUNTA À PRAIA

Junto à praia
O nosso olhar se prolonga
No horizonte quase infindável
Deste mar imenso
De um azul esverdeado
Que nos atrai
Nos fascina
Nos tranquiliza.
O nosso olhar
Se perde
Neste gigantesco palco
Onde o horrendo e o belo
Convivem lado a lado
Numa dança sem fim.
Neste implacável
Mas sedutor cenário
O nosso olhar se delicia e sacia
Na imensidão
Agora calma
Deste poderoso, mar.

Mário Margaride 

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

NAVEGAREI NO MAR DOS TEUS OLHOS

Navegarei no mar dos teus olhos
Mergulharei na imensidão das tuas ondas
Nas profundezas do teu sentir…
Abraçarei o teu carinho
Repousarei nas margens do teu amor…
Mergulho nas ondas da tua ternura
Para me afundar por fim…

No mar imenso de ti…

Mário Margaride